NY e China impulsionam alta do Ibovespa, mas temor com quadro mundial é risco

A IstoÉ procurou Felipe Moura, nosso analista de investimentos, para opinar sobre os eventos econômicos da semana.


“Para Felipe Moura, analista de investimentos da Finacap, após o índice S&P 500 entrar em parte do pregão de sexta-feira no chamado “bear market“, caracterizado por queda de 20% em comparação com o pico mais recente, de 4 de janeiro, a alta parece ser mais um ajuste técnico. Contudo, admite que as notícias da China dão suporte à valorização principalmente do Ibovespa.


“Tem boas perspectivas de reabertura em junho em Xangai. Assim que anunciaram a data, a cotação do minério de ferro já foi favorecida”, afirma Felipe Moura, analista de investimentos da Finacap.


Além disso, Moura, da Finacap, vê com bons olhos a nova redução da TEC, a ser anunciada hoje. A equipe econômica detalhará a nova etapa de diminuição de 10% para 85% dos produtos que circulam pelo Mercosul – no ano passado, os tributos sobre esses itens já tinham sido baixados em 10%. “É uma agenda que deve ser bem recebida pelo mercado.”


Entretanto, o profissional da Finacap alerta para a agenda da semana. “Há alguns dados e divulgações esta semana, como a minuta ata do Fed. O mercado está muito à deriva, à espera de um sinal do Fed, se será uma nova alta de 0,50 ponto ou de 0,75 ponto porcentual do juro no próximo encontro”, diz.



Confira a matéria na íntegra, clicando aqui.