Bancões X ‘neobanks’: os resultados e riscos no radar do mercado

O jornal Estadão procurou Felipe Moura, nosso analista de investimentos, para opinar sobre Bancões X ‘neobanks’.


“O resultado dos grandes bancos veio bem acima do consenso, mas houve uma grande melhora na rentabilidade dos bancões”, diz Moura.


De acordo com Moura, havia uma expectativa de que as grandes instituições financeiras não conseguissem retomar, no médio prazo, a rentabilidade patrimonial (ROE) que detinham antes da pandemia. O ROE mensura o quanto de lucro uma companhia gera com o capital investido pelos acionistas.


Historicamente, segundo o analista da Finacap, essa métrica estava em 18%. No último resultado, Banco do Brasil, Bradesco, Santander e Itaú apresentavam retorno anualizado sobre o patrimônio líquido de 17,6%, 18%, 20,7% e 20,4%, respectivamente.


“O mercado atribuía muito peso a isso. Vimos nesse 1° trimestre quase todos eles voltando a essa rentabilidade, a principal métrica que olhamos quando analisamos bancos”, afirma Moura.


Confira a participação na íntegra, clicando aqui.